Milhões de pessoas a cada ano são diagnosticadas com câncer de pele no mundo.

No entanto, quanto mais cedo a doença for descoberta, maiores são suas chances de cura.

O câncer de pele se manifesta principalmente em forma de nevos (pintas) e manchas na face e no corpo com características próprias que as diferenciam de simples marcas na pele.

O auto-exame é muito importante e o paciente estar atento e verificar alguns aspectos de manchas da pele (ABC do câncer de pele):

A – Assimetria
B – Bordas irregulares
C – Cores múltiplas
D – Diâmetro maior que 5 mm
E – Evolução temporal das marcas.

Leões de pele que coçam, doem e sangram regularmente exigem maior atenção, assim como aquelas que surgem e crescem rapidamente.

Qualquer lesão que levante suspeita deve ser avaliada em consultório e uma biópsia pode ser necessária para avaliação adequada da natureza da lesão.

O tratamento para todos os tipos de câncer de pele consiste em cirurgia de remoção, que é pouco invasiva e não necessita de longo tempo de recuperação.

Em alguns casos é necessário combinar a cirurgia com tratamento de adicional como a radioterapia, mas é importante não deixar com que o câncer de pele se estenda para outros órgão na forma de metástases.

A remoção e análise por exame anatomo-patológico dos limites da lesão definem o tipo do tumor e a sua retirada completa.

Após a retirada completa, o paciente estará fora de risco, mas deve fazer revisões periódicas.

IMPORTANTE:
A avaliação do paciente em consultório é fundamental para o diagnóstico correto e a indicação do plano de tratamento adequado. Aguardo seu contato para, de maneira individualizada, orientar e planejar o seu procedimento cirúrgico.